14 de março de 2010

Lançamento. Editora Cultura e Barbárie


[lançamento] - Iniciativa dos estimados amigos Alexandre Nodari, Leonardo d'Ávila de Oliveira, Diego Cervelin, Flávia Cera e de Rodrigo de Barros Oliveira, lançou-se a Editora Cultura e Barbárie há cerca de dois dias.

Ainda, Emanuele Coccia estará na Universidade Federal de Santa Catarina no dia 18 de março de 2010, quinta-feira, às 18 horas, no Auditório da Reitoria, para o lançamento da versão brasileira de seu livro A vida sensível, traduzido por Diego Cervelin e publicado pela Editora Cultura e Barbárie. O outro lançamento da editora, igualmente disponível para aquisição on line, é A tela do cinema como prótese de percepção, da pena de Susan Buck-Morss, com tradução de Ana Luiza Andrade, ambos integrantes das coleção Parrhesia dessa nova e promissora editora.


O excerto abaixo é do Blog do Alexandre Nodari, Consenso, só no paredão!


"Finalmente, depois de muitos anos, um projeto antigo, que vem desde os tempos de graduação, quando conheci Rodrigo Lopes de Barros Oliveira, Leonardo D'Ávila, Diego Cervelin e, last but not least, Flávia Cera, sai do papel: a Editora Cultura e Barbárie. Nossos dois primeiros títulos - A tela do cinema como prótese de percepção, de Susan Buck-Morss, e A vida sensível, de Emanuele Coccia - já estão a venda no site (e haverá o lançamento de A vida sensível quinta-feira, às 18 horas, aqui em Florianópolis, no Auditório da Reitoria da UFSC, com a presença do autor). Os dois títulos integram a nossa primeira coleção, PARRHESIA, dedicada a ensaios de pensadores contemporâneos".