Postagens

Varia: 1/2 dúzia de txts

Imagem
Pois é. Então. Sei lá. Não atualizamos o Navalha de Dalí há uns bons meses. Perdi a conta de quantos. A negligência é tamanha que sequer rolei a barra lateral para contar... Mas e daí? Vamos às novidades! Nesta seção, que chamei aleatoriamente de varia , aproveito para chamar a atenção dos amigos para textos variados que foram publicados nos últimos meses e não tive a chance de disponibilizá-los antes aqui no blog . Vamos a eles? Os primeiros são três ensaios. Um é um ensaio solo que dá continuidade à minha pesquisa sobre Deleuze e o direito; outro, em parceria com Guilherme Chaves (Labtesp/UEPG + USP), debate as categorias de autor e usuário na configuração da economia política do capitalismo de plataforma; por fim, o último, em parceria com Paloma Graf (Labtesp/UEPG), é um ensaio que tenta prolongar um conceito de Achille Mbembe (o "devir-negro do mundo") a fim de mostrar que as lutas antirracistas - especialmente involucradas nas manifestações globais do BlackLivesMatter

Shitposting on: sobrescrever

Imagem
Carxs leitorxs do A Navalha de Dalí, Vocês ainda estão aí? Os blogs saíram de moda. Toda a prática de leitura online parece ter sido engolida pelo shitposting das redes sociais. E todo shitposting requer um shitreading . Aquela atençãozinha de merda. 15 minutos são ouro! 9 segundos de dancinha no TikTok. Não dá tempo nem de ficar excitadx. Mas, sendo o caso, o capitalismo inventou outras drogas pra isso - as FFAA que o digam. O resto (e também um imenso monturo do shitstorm disponível) passou ao audiovisual - mais conhecido como You Tube e que tais. Enquanto isso, "as melhores práticas textuais" agora estão pautadas na hiperfragmentação (penso se não seria o momento de pôr um ponto final nesta frase em busca de mais views . Uma pena este blog não ter AdSense ). Tudo vira SEO. Fragmentação e recursão são palavras-de-ordem. Ou melhor, a ordem-das-palavras, ordem do discurso. O arquivo e o a priori histórico foucaultianos. Hoje, o carequinha que a gente gosta estaria es

As lutas algorítmicas como questão da técnica: o impasse do capitalismo de vigilância

Imagem
  Registro da intervenção feita em 03.06.2022 no Seminário IAlgo+, vinculado à Eco-Pós UFRJ e ao PPGCI IBICT/UFRJ,a convite do Prof. Dr. Giuseppe Cocco (UFRJ).   Essa intervenção procura localizar tendências subteorizadas na tese do capitalismo de vigilância, revisitando Heidegger, Horkheimer e Wiener. Tenta mostra que a difusão das técnicas computacionais instancia-se em um duplo processo extrativo: dos corpos como territórios mineráveis, e da terra como corpo sujeito a um regime fabril. Mas o que se passa quando os meios interceptam esse devir?  Tentamos deslocar o ângulo de visão do capitalismo de vigilância, e sua clausura para com as lutas, propondo reinterpretar os algoritmos como objetos técnicos em sentido simondiano. Para isso, lemos em conjunto as teses de Gilbert Simondon (1924-1989) sobre a individuação e sobre o modo de existência dos objetos técnicos.  É do seu prolongamento que, numa provocação a Heidegger, propomos as lutas algorítmicas, já não como questões, mas como

Deleuze e o direito: a jurisprudência como categoria social

Imagem
      Intervenção de Murilo Duarte Costa Corrêa (PPGCSA e Labtesp/UEPG) na cadeira "Filosofia e Sistemas do Pensamento Jurídico", a cargo do Prof. Dr. Alexandre Fabiano Mendes, no Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD/UERJ).    Se você procura uma introdução contextualizada, bem como as principais chaves de leitura para entender o direito e a noção de jurisprudência na filsofia de Gilles Deleuze, esta palestra é para você!    Ela foi gravada em 04/05/2022, via Zoom, como parte das atividades da cadeira no PPGD/UERJ.

A conspiração dos vivos: as lutas contra a asfixia

Imagem

Diagramas da pandemia: para uma taxonomia do pensamento em curso

Imagem

Afetar o por vir dos corpos: micropolíticas da insegurança neoliberal

Imagem