9 de outubro de 2010

Vherbarium: um itinerário de verdades que (ainda) não compreendemos


1) "A política é a guerra continuada por outros meios". (Michel Foucault, invertendo Clausewitz);
2) "O sagrado, eis o inimigo" (Paris, Maio de 68);
3) "Todos temos poder nos corpos e fascismo na cabeça" (Michel Foucault);
4) “...(vigiar inclusive em nós mesmos o fascista, e também o suicida e o demente).”(Gilles Deleuze e Félix Guattari);
5) “Atem-me se quiserem, mas nada há de mais inútil do que um órgão”. (Antonin Artaud);
6) “A libertação não é o fim, mas só um começo. (Antonio Negri);
7) "Não somos, nem nunca seremos terroristas; mas isso que vocês crêem ser um terrorista, isso, nós somos" (Giorgio Agamben);

8) “A prova do desejo: não denunciar os falsos desejos, mas, no desejo, distinguir o que remete à proliferação de estratos, ou bem à desestratificação demasiada violenta, e o que remete à construção do plano de consistência”. (Gilles Deleuze e Félix Guattari);
* [...]. Continue esse itinerário na caixa de comentários... 
--


Enquanto isso, no Largo do São Francisco (FD/USP)